Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

# Chá Verde com Limão

Blog pessoal sobre o lado bom da vida e, por vezes, sobre o lado resiliente. Aqui partilha-se pensamentos, experiências, inspirações, dicas, ensinamentos, e todas as coisas boas que a vida nos pode oferecer!

# Chá Verde com Limão

Blog pessoal sobre o lado bom da vida e, por vezes, sobre o lado resiliente. Aqui partilha-se pensamentos, experiências, inspirações, dicas, ensinamentos, e todas as coisas boas que a vida nos pode oferecer!


26.07.20

Em Paz

por Patrícia Ribeiro

A vida leva-nos a constantes encontros e desencontros. Nem sempre encontramos o que queremos, mas encontramos sempre o que precisamos. Ao longo da vida, aprendemos que para encontrar a luz, muitas vezes precisamos de nos encontrarmos na noite. A vida, mostra-nos à bruta, que as tempestades são precisas para valorizar os dias de sol, precisamos de perdoar para amar e precisamos de estar perdidos para encontrar o nosso caminho. 

Nos entretantos da vida, existem aqueles momentos (em que não estamos assim tão bem), mas que ouvimos uma música, lemos um poema ou encontramos um objetivo, e  nos erguemos das nossas cinzas. Compreendemos que muitos encontros só tinham um destino, o desencontro, outros só deviam durar os segundos que existiram e outros (muitas vezes, aqueles que menos esperamos) irão ficar para sempre na nossa vida. Entendemos que a vida não nos dá o que queremos, porque o que queremos nem sempre é o que precisamos, só é preciso aprender a alinhar o nosso querer com o que realmente precisamos (só precisamos das coisas simples da vida).

Por muitas noites negras que tenha vivido, por muitas tempestades que tenha passado e por muito que tenha estado perdida, aprendi a perdoar quem me magoo, quem me desiludiu ou quem me deixou, mas primeiro tive que aprender a perdoar-me. A perdoar as minhas escolhas, as minhas decisões, as minhas inseguranças e os meus medos. Agora estou em paz, com o meu passado e com a minha história.

Amo o meu passado porque faz parte da minha história e de quem sou hoje. Amo o meu presente porque é a única coisa que tenho garantida nesta vida. Amo o meu futuro porque ainda poderei viver todos os meus sonhos.

Pink and White Photo Grid Camera Day Social Media

 

 

publicado às 12:11

25.07.20

De coração

por Patrícia Ribeiro

Na tua vida, faz tudo de coração, ou seja, faz tudo de boa vontade. Mesmo o que tens menos vontade de o fazer, mas que tem que ser feito, fá-lo de boa vontade. Se não o fizeres de boa vontade, se não o fizeres de coração, então é preferível não o fazeres. Nesses casos, tens que aprender a dizer não, ser sincera contigo mesma e com aqueles que te rodeiam.

A vida ensinou-me que só o que é feito de coração é que vale a pena, é que dá aquele sabor doce à vida, é o que dá sentido à tua vida. Mesmo que seja um sacrifício, mas se o fizeres de boa vontade, vais conseguir ver o lado bom de cada situação e no final, sorrir e agradecer. Mas se não o fizeres de coração, mesmo o que mais desejas, todos os percalços serão difíceis de ultrapassar, será um fardo demasiado grande para ti, e nada irá correr bem.

Simplifica a tua vida! E faz tudo de coração! Cada gesto, cada tarefa do dia-a-dia, cada obrigação, cada dever, cada momento, cada tarefa, cada ação. Mas quando não o conseguires fazer de coração, deixa para trás, diz não, assume que não o consegues fazer de boa vontade, enfrenta as consequências. E depois, no futuro, quem sabe, se não estarás preparada para o fazer de coração? Dá tempo ao tempo, ele indicará o teu caminho...

Não te esqueças daquilo que deves fazer todos os dias de coração: amar-te, perdoar-te e agradecer-te!

Simplifica a tua vida! E faz tudo de coração!.pn

 

publicado às 06:57

24.07.20

Talismã

por Patrícia Ribeiro

Há dias que acordo por acordar. Há noites que não consigo encontrar o sentido dos meus dias. Há momentos que só queria (voltar) a fugir. Talvez, desta vez, vá dar a volta ao Mundo e perder-me por aí. Parece que, mesmo depois de tudo, a minha vida voltou ao mesmo ponto de partida, onde não sei quem sou, onde não confio, onde sou insegura, onde perco a fé, onde tenho medo (e é tanto o medo que sinto no meu coração), onde penso que a felicidade só foi criada para os outros (aqueles que vivem a sua vida sem estas angústias). Por vezes, penso que a minha vida seria bem mais fácil, se eu não pensasse tanto, se eu não sentisse tanto ou se eu não me importasse tanto. Como escreve a Florbela Espanca, "Diz-me, porque não nasci igual aos outros, sem dúvidas, sem desejos de impossível?".

Só queria ser igual ao comum dos mortais, ou então ter nascido com aquela estrelinha da sorte, não ser este ser, que vivi num limbo de sentimentos. Ser fiel a mim própria ou agradar aos outros, ajudar o Mundo ou cuidar em primeiro lugar de mim, viver a vida no limite ou planear cada passo para atingir os meus objetivos, amar incondicionalmente ou proteger o meu coração. Sonho que tenho alma de poeta ou de artista, mas não tenho a coragem de ser diferente ou não nasci com um dom único. Sinto-me diferente, mas em simultâneo, igual a tantos outros.

Escrever ajuda-me a libertar os meus sentires, as minhas incertezas e as minhas angústias, mas partilho para que oiçam a minha voz, que leiam o meu coração e que vejam o meu mundo. Não tenho vergonha de quem sou, só não sei dizer quem sou.

E nos entretantos da vida, chegam as boas memórias, os cheiros inconfundíveis, as músicas de alegria e de paz, o sol que aquece a pele, o céu estrelado para embalar a minha alma, e as minhas pessoas, aquelas que são o meu talismã, principalmente nos meus dias "não". Nesses momentos, percebo que sou única para elas, com a minha forma de vestir ou de contar as minhas histórias (por vezes, um pouco chatas), com o meu sorriso fácil ou com os sonhos (um pouco loucos) que trago no peito, com a minha amizade e a minha paixão pela vida!

É tão reconfortante, saber que neste Mundo, há alguém que te aceita como és, que gosta de ti e que, mesmo com todas as tuas loucuras, continua lá para ti! Mais do que estar lá para elas, o essencial é continuar o meu caminho e partilhá-lo com os meus talismãs, os meus trevos de quatro folhas, os meus olhos-de-boi, as minhas mãos-de-fátima, os meus elefantes e as minhas ferraduras. 

A tua sorte grande é saberes encontra as pessoas certas para serem os teus talismãs! Eu tenho os meus, e trago-os sempre comigo no meu coração!

Amigos que penduram para fora Tendo Citar café da

 

publicado às 14:28

Nascida em 1988, sou uma sonhadora, uma apaixonada pela vida e uma crente no Amor. Gosto de chá verde com limão, café, chocolate, dançar, ler, viajar, conhecer o mundo, fotografar, e de sorrir. A minha cor é o verde alface. Só quero uma vida com paixão, paz, alegria e amor!

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.